A alta do dólar pesou na inflação neste início de 2015, segundo Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo ela, de alimentos a itens de higiene pessoal vêm sendo afetados pela valorização da moeda americana. “A alta do dólar certamente afeta”, disse. Eulina ressaltou, contudo, que o câmbio divide espaço com o aumento das tarifas administradas entre os impactos sobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que avançou 1,32% no mês de março.

“Em 2002 e 2003, a desvalorização foi bem maior e o peso do dólar sobre os preços se fez mais evidente. A maior parte dos 5,13% do primeiro trimestre de 2003 se deve ao dólar. Já nesse primeiro trimestre (de 2015), o País está vivendo pressão do dólar, que afeta produtos importados, insumos importados, mas, além disso, tem o realinhamento dos preços administrados”, afirmou a coordenadora. Segundo ela, o realinhamento dos preços da energia elétrica e da gasolina e a elevação de impostos explicam a alta do IPCA neste início de 2015. “Outros fatores além do dólar afetam a alta de 3,83% no primeiro trimestre deste ano”, afirmou.