A queda de 0,34% nos preços do grupo Alimentação e Bebidas representou o maior impacto negativo, -0,08 ponto porcentual, na taxa de 0,16% verificada em julho pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na leitura anterior, os alimentos tinham recuado menos, -0,26%.

Vários produtos ficaram mais baratos, especialmente o tomate (-15,32%), que exerceu a mais forte pressão para baixo (-0,04 ponto porcentual), seguido das carnes (-1,12%), com impacto de -0,03 ponto.

Mesmo com o resultado, o grupo Alimentação e Bebidas ainda acumula alta de 2,77% no ano.

No grupo de não alimentícios, a variação foi de 0,31% em julho ante junho, pouco acima da taxa de 0,28% na leitura anterior.