A indústria e também os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo ou FBCF) caíram no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado não só em volume, mas também em valores absolutos, destacou a técnica da área de Contas Trimestrais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Cláudia Dionísio. A FBCF passou de R$ 134,961 bilhões no segundo trimestre de 2008 para R$ 118,778 bilhões no mesmo período de 2009. O valor gerado pela indústria de abril a junho do ano passado foi de R$ 168,483 bilhões e nos mesmos meses de 2009 foi de R$ 163,400 bilhões.

A queda em volume, refletida pelas variações porcentuais divulgadas pelo IBGE, não significa necessariamente redução também em valores absolutos. A agropecuária, por exemplo, que teve redução em volume de 4,2% na mesma base de comparação, teve aumento em valores absolutos, de R$ 53,688 bilhões para R$ 56,108 bilhões. A FBCF caiu 15,6% e a indústria teve retração de 7,9% ante o segundo semestre de 2008.

Financiamento externo

A necessidade de financiamento externo do País baixou de R$ 14,3 bilhões no segundo trimestre de 2008 para R$ 7,8 bilhões no mesmo período deste ano, informou o IBGE. A redução de R$ 6,5 bilhões foi causada principalmente pelo aumento de R$ 5,5 bilhões no saldo externo de bens e serviços, que era de R$ 2,1 bilhões no segundo trimestre do ano passado e passou para R$ 7,6 bilhões na soma de abril a junho deste ano. Cláudia também citou que no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2008, houve redução da remessa líquida de lucros e dividendos em R$ 2,1 bilhões e o aumento do pagamento líquido de juros em R$ 1,4 bilhão.