Com exceção da produção de bens intermediários, todas as demais categorias de uso da indústria registraram expansão na produção em julho ante junho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produção de bens intermediários recuou 0,7% em julho frente ao mês anterior, após já ter caído 1,6% em junho ante maio.

“O setor de bens intermediários foi o único a não reverter a queda na produção”, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

Em julho ante julho de 2010, a queda foi de 2,4%. No ano, o setor acumula alta de 0,6% e, em 12 meses, de 2,6%.

“Houve perdas dentro das atividades de metalurgia básica, extrativa, outros produtos de refino, borracha e plástico, e celulose, que de alguma forma contribuíram para a manutenção desse resultado negativo dos bens intermediários”, contou Macedo.

A categoria de bens de capital teve expansão de 1,7% em julho ante junho, de 3,8% em julho ante julho de 2010, de 5,5% no ano e de 8,3% em 12 meses.

Já a categoria bens de consumo aumentou 3,5% em julho ante junho, 0,9% em julho ante julho de 2010, 0,8% no ano, e 1,7% em 12 meses. Os bens de consumo duráveis tiveram expansão de 2,9% ante junho, de 1,3% ante julho de 2010, de 1,9% no ano, e de 1,8% em 12 meses. Os bens de consumo semiduráveis e não duráveis aumentaram 3,8% ante junho, 0,8% ante julho de 2010, 0,5% no ano e 1,6% em 12 meses.

Estoques e importação

Os estoques em níveis elevados e o aumento das importações estão prejudicando o desempenho da indústria de bens intermediários, segundo Macedo. De acordo com ele, houve paralisações nas atividades de indústrias para manutenção dos setores de outros produtos químicos, de celulose e de uma fatia de refino de petróleo.

“O maior volume de importações combinado com as paradas para manutenção dão uma explicação do que aconteceu nos bens intermediários”, disse Macedo. “O menor dinamismo no mercado interno pode levar as empresas a esse tipo de comportamento, a paralisações para manutenção, regulando a sua produção no mês corrente. Alguns setores que mostraram estoque acima do normal tiveram esse comportamento. A indústria como um todo encontra-se nesse momento com nível de estoque acima do normal.”