Análise do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) mostra que enquanto a média diária das importações (em valores dessazonalizados) cresceu 12,7% em maio de 2007 na comparação com dezembro de 2006, as exportações recuaram 2,9% no mesmo período. Para a entidade, o comportamento das médias de importação e exportação permite avaliar que a valorização do real ante o dólar continuará a acelerar as compras e a frear as vendas.

O Iedi prevê que o saldo da balança comercial vai atingir US$ 39 milhões neste ano, ante expectativa do mercado apurada pelo Banco Central de US$ 42,1 bilhões. A projeção é de exportações de US$ 150 bilhões (aumento de 9% ante 2006) e importações de US$ 111 bilhões (mais 21,4%).

Em maio, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as importações alcançaram US$ 9,8 bilhões, o maior volume já registrado em um único mês. "Há uma clara indicação de que após um inesperado recuo em abril, as importações voltaram à tendência de forte aceleração, motivadas pela valorização cambial", diz análise do Iedi.

De janeiro a maio, as importações somaram US$ 43,2 bilhões, expansão de 26,7% sobre os US$ 34,1 bilhões no mesmo período do ano passado. A média diária no acumulado do ano até o mês passado foi de US$ 416 milhões, aumento de 25,4% frente a US$ 331 milhões nos primeiros cinco meses de 2006.

Ao comparar o valor dessazonalizado da importação em maio de 2007 ante dezembro de 2006 verifica-se um aumento de 12,7% o que para o Iedi, corrobora a expectativa de um aumento das compras no exterior nos meses à frente. "Mesmo tomando o valor mais ´suavizado´ correspondente à média trimestral do valor dessazonalizado de importação encerrado em maio, a comparação com dezembro de 2006 resulta um aumento de 9,9%", observa o instituto.

Quanto às exportações, o Iedi observa que apesar do forte aumento com relação a maio do ano passado, os dados acumulados em 2007 não confirmam a hipótese de aceleração das vendas. Aqui também neste caso, usa-se a comparação do valor dessazonalizado entre maio/2007 e dezembro/2006. "Na comparação do valor dessazonalizado de maio último com o de dezembro de 2006, as exportações por dia útil recuaram 2,9%. Considerando as médias trimestrais de valores dessazonalizados encerrados em maio de 2007 e em dezembro de 2006, houve um aumento de apenas 2,9%", diz o Iedi.

As vendas de produtos brasileiros ao exterior somaram US$ 13,6 bilhões em maio (US$ 620 milhões de média diária), maior valor desde agosto de 2006 (US$ 13,7 bilhões e US$ 594 milhões por dia útil). Frente a abril, as exportações registraram pequena queda de 0,3% (em relação à média por dia útil). Em valores dessazonalizados a queda das exportações frente a abril foi de 0 1%. Em comparação com maio de 2006 (US$ 468 milhões), a variação positiva de 32,4% reflete a greve da Receita Federal em maio de 2006.

O total acumulado no ano alcançou US$ 60,0 bilhões (US$ 578 milhões por dia útil), crescimento de 21,2% frente aos cinco primeiros meses de 2006 (20,0% em termos de médias diárias). Nos últimos 12 meses, a soma foi de US$ 148,3 bilhões ou US$ 593 milhões por dia, o que representou variações de 19,1% e 20,0% frente ao período imediatamente anterior.