O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) fechou o mês de junho em 1,54%, a mais alta taxa mensal desde agosto de 2000, quando havia cravado 2,39%. O aumento foi ditado pelo avanço de 2,31% dos preços no atacado, principalmente em razão dos produtos com preços cotados em dólar. No varejo, entretanto, o avanço foi de apenas 0,33%, o que reflete, para a Fundação Getúlio Vargas (FGV), uma dificuldade do repasse de preços e uma provável compressão das margens de comercialização.