(AE) – A inadimplência das empresas cresceu 4% no País em maio, na comparação com abril, mês que havia registrado redução de 6,4% ante março. Levantamento divulgado ontem, pela Serasa mostrou que, em relação a maio de 2004, a inadimplência de pessoas jurídicas foi ainda maior, com alta de 16,3%. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2005, o acréscimo foi de 8,8% sobre o mesmo período do ano anterior.

De acordo com a Serasa, a expansão do volume de crédito concedido e o aumento das taxas de juros, combinados com uma queda no ritmo de atividade nacional, foram os principais responsáveis pelo crescimento da inadimplência entre as pessoas jurídicas. Os técnicos da companhia de análise de crédito destacam que a atual política monetária provocou aumento das taxas dos financiamentos bancários, onerando os custos e pressionando a liquidez das empresas.

O Indicador Serasa de Inadimplência contempla registros de cheques devolvidos, títulos protestados e dívidas vencidas. Em maio de 2005, os títulos protestados tiveram a maior participação (41,1%) na inadimplência. Entretanto, a empresa destaca que este porcentual vem caindo em relação a iguais períodos dos anos anteriores: em 2004 e 2003 esta modalidade de crédito respondeu por 44,9% e 49%.