São Paulo – O calote com cheques devolvidos de janeiro a março chegou a R$ 16 bilhões em todo o País, revela estudo da CheckOK. O mesmo estudo mostra que o total de cheques devolvidos em março por falta de fundos no País teve uma variação negativa de 2,7%, na comparação com março de 2003. A CheckOK é uma empresa nacional de verificação eletrônica de crédito. Do total de 189,3 milhões de cheques compensados, 10,8 milhões foram devolvidos por falta de fundos, ou seja, 57 cheques em cada lote de mil compensados não tinham saldo suficiente. Em março de 2003, de cada mil cheques compensados, 59 eram frios.

Os números de março em comparação a fevereiro deste ano, com 8,5 milhões de cheques devolvidos ou 54 em cada mil compensados, mostram que houve uma variação positiva de 6,6%, ou seja, o número de cheques devolvidos em relação ao de compensados foi menor do que em março.

Em março, o número total de cheques devolvidos por insuficiência de saldo (10,8 milhões) foi maior do que a média mensal de cada ano desde 1997. A maior média de devoluções foi verificada em 2001. Nesse ano foram devolvidos 123,5 milhões de documentos, isto é, 10,3 milhões de cheques por mês, em média. O total de cheques devolvidos sem fundos em março foi o maior dos últimos 12 meses, superando maio (10,6 milhões) e julho de 2003 (10,5 milhões), revela o levantamento da CheckOK.

São Paulo aparece como o estado com maior volume de cheques compensados, cerca de 74 milhões – de cada mil cheques compensados em março, 51 foram devolvidos por falta de fundos, revela o levantamento da CheckOK. Esse total é 5,9% menor do que a variação registrada em março de 2003, quando foram devolvidos 54 documentos por insuficiência de fundos a cada lote de mil compensados. Já em relação a fevereiro de 2004, quando foram devolvidos 47 cheques em cada mil depositados, houve variação positiva de 6,7%.