O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado (INCC-M) ficou em 0,80% em julho, mostrando desaceleração ante a alta de 1,25% registrada em junho, divulgou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta segunda-feira, 28. A taxa ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções (que iam de 0,50% a 0,86%) e acima da mediana, de 0,72%. Até julho, o INCC-M acumula altas de 5,56%% no ano e de 7,22% em 12 meses.

O grupo Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação positiva de 0,45% em julho, após o avanço de 0,37% apurado na leitura do mês anterior. Já o índice relativo a Mão de Obra, por sua vez, subiu 1,11%, após ficar em 2,05% em junho.

Três das sete capitais analisadas registraram desaceleração em suas taxas de variação em julho ante junho: Belo Horizonte (de 0,15% para 0,12%), Recife (de 0,23% para 0,10%) e São Paulo (de 2,61% para 0,24%).

Por outro lado, houve aceleração em Salvador (de 0,06% para 0,09%), Brasília (de 0,58% para 3,26%) e Porto Alegre (de 0,12% para 2,90%). No Rio de Janeiro, foi mantido o ritmo de alta (0,10%).