Foto: Arquivo

Linha de produção da Kraft Foods: guloseima com brinquedos.

O tradicional ovo de Páscoa não é mais o mesmo. Embora a principal matéria-prima ainda seja o cacau, o produto ganhou formatos diferentes, sabores para atender aos mais exigentes paladares e embalagens atraentes. Na linha infantil, antigos bombons que recheavam os ovos deram lugar a brinquedos de personagens famosos como Barbie, Hello Kitty, Homem-Aranha. É a indústria de chocolates investindo cada vez mais na inovação dos produtos – só para esta Páscoa estão previstos 140 lançamentos.

?A Páscoa representa 20% do faturamento da indústria de chocolates no ano. E acontece num período curto, de 40 dias?, destacou André Vercelli, diretor da Divisão de Chocolates e Biscoitos da Kraft Foods, detentora da marca Lacta, líder de vendas na Páscoa. A Kraft está em contato constante com o público, e foi através de pedidos que a empresa trouxe de volta o trakipum – um brinquedo que vinha no ovo Trakinas em 2005, mas que ficou fora da linha no ano passado.

Para esta Páscoa, a Lacta vem com seis novidades, entre elas o Lacta Diet, Lacta Joy Biscoito, o Sonho de Valsa Meio a Meio e o Quarteto Fantástico – licenciamento que na Páscoa passada pertencia à marca Garoto. Outros produtos, porém, deixaram o portfólio da companhia, como o ovo Bis Morango, o Tiramissu e o ovo Sonho de Valsa Morango. ?Para nós, os brinquedos são oportunidades. Os licenciamentos são importantes, mas os produtos em si, a qualidade, são muito mais?, considerou Vercelli, revelando que os licenciamentos não têm peso tão expressivo nos investimentos da companhia para a Páscoa. Segundo a ACNielsen, a linha infantil (com brinquedos) representa 25% do mercado, enquanto a tradicional, 75%.

Mais lançamentos

A Garoto, que deteve 16% das vendas na Páscoa passada, é outra que aposta nas novidades. Para este ano, a empresa capixaba está trazendo 18 lançamentos – nove deles na linha infantil e nove na linha tradicional. ?A gente acredita que este vai ser um ano positivo. Estamos investindo em novidades, em merchandising?, destacou o gerente-executivo de marketing da Garoto, Ronaldo Carneiro. Uma das principais inovações é o ovo Super Baton – versão gigante do chocolate. A empresa também aposta em ovos infantis, como o Smilingüido, X-Men, Carros, Bob Esponja.

Acompanhando o setor, a Garoto aumentou a produção para esta Páscoa em 5% na comparação com a do ano passado e reajustou os preços em 5,5%. A fábrica contratou 4,2 mil temporários para os pontos de venda e outros 600 para a linha de produção.

Outra gigante do setor, a Nestlé – com participação de 27% das vendas na Páscoa passada, atrás apenas da Lacta, com 35% – trouxe este ano dez lançamentos e renovações, entre eles três novas versões do Alpino, além de ovos da linha infantil. ?Esperamos um crescimento maior do que o do mercado?, afirmou o gerente-executivo da unidade de chocolates da Nestlé, Alexandre Biselli. O setor, conforme divulgação feita na semana passada, esperar crescer 11,2% em faturamento na comparação com a Páscoa 2006. Segundo Biselli, a companhia reajustou os preços em 4%.

Disputa

Quem também decidiu apostar na Páscoa este ano foi a Hershey?s. Pela primeira vez, a companhia – que iniciou sua atuação no Brasil em 1998, inicialmente com a importação de produtos, mas com fabricação no País desde 2002 – estará disputando espaço com marcas fortes do mercado. São três lançamentos – ovo ao leite, ovo Cookies?n?Creme e, da linha infantil, o Crazy Frog. Os preços devem variar entre R$ 17,00 e R$ 23,00. ?Será uma Páscoa pequena, voltada principalmente para os consumidores fiéis de Hershey?s?, comentou Renata Vieira, gerente de produtos de chocolates, sem revelar de quanto será a produção de ovos nesta estréia.

A Kopenhagen, com seu público seleto, também está otimista. De acordo com Renata Vichi, vice-presidente da companhia, a Kopenhagen produziu para esta Páscoa 440 toneladas de chocolate – volume quatro vezes maior do que a média mensal e 25% maior do que a Páscoa passada. Segundo Renata, o aumento da produção se deve sobretudo à ampliação da rede: em um ano, foram abertas 40 novas lojas. Com isso, o número de lojas próprias e franquias passou para 205. Entre os lançamentos estão o ovo Toca do Coelho, de 500 gramas, que custa R$ 83,00.

Chocolate sem açúcar, lactose e glúten

As inovações dos ovos de chocolate vão muito além do simples formato, dos brinquedos que os acompanham e do número de cascas – simples, duplas ou triplas. De olho no público que tem restrições alimentares, um número cada vez maior de empresas vem investindo em ovos de chocolate especiais. É o caso da paranaense DEJC Alimentos, instalada em Campina Grande do Sul, que está lançando nesta Páscoa um ovo de chocolate sem açúcar (voltado para os diabéticos), sem lactose (para os que são intolerantes ao açúcar do leite) e sem glúten (para os celíacos, ou seja, para quem tem intolerância ao glúten).

?Percebemos que havia uma demanda grande por este tipo de produto?, afirmou a diretora-comercial Eloísa Giunti. O ovo, que leva o nome Tri-Gostoso e está à venda apenas em lojas especializadas do ramo, começou a ser produzido no final do ano passado. ?Procuramos identificar nichos de mercado que se sentem privados de consumir certos ingredientes. Nosso trabalho é o de produzir alimentos especiais e atender ao que o mercado vem solicitando?, comentou Eloísa. Além do Tri-Gostoso, a empresa produz ovos de chocolate de alfarroba – matéria-prima utilizada em substituição ao cacau.

Para esta Páscoa, estão sendo produzidos inicialmente 10 mil ovos com a marca Tri-Gostoso. O volume, porém, pode aumentar conforme a demanda. ?É um produto novo, mas com uma aceitação incrível. Além do Paraná, já estamos vendendo para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo?, afirmou Eloísa. O chocolate é fabricado nas versões tabletes (25g) e ovos de Páscoa (230g), com preço sugerido de R$ 1,50 e R$ 17,00, respectivamente.

Icab

Outra paranaense que vem investindo no mercado de chocolates especiais é a Icab, no ramo há 77 anos. Segundo o sócio-proprietário Luigi Muffoni, uma das novidades da empresa este ano é o ovo da linha diet. ?Estamos investindo pouco em marketing, mas muito na qualidade do produto?, afirmou Muffoni. Só na linha Páscoa, a Icab tem em seu portfólio cerca de 35 produtos, cujos preços variam entre R$ 2,00 e R$ 610,00 (ovo de 5,5 quilos). Ao contrário de empresas que investem no licenciamento de personagens famosos para conquistar a criançada, a Icab aposta em chocolates com formatos de apelo infantil, como ursos e aparelho celular. A fábrica conta com 19 funcionários fixos e não contratou temporários para a produção da Páscoa. A empresa tem cinco lojas em Curitiba.