A indústria de alimentos Nilza, sediada no município paulista de Ribeirão Preto, demitiu na segunda-feira (30) 550 funcionários das três unidades da empresa, situadas em São Paulo e Minas Gerais. A expectativa é 30% dos profissionais sejam recontratados em aproximadamente 180 dias.

Sofrendo os efeitos da crise financeira mundial, a empresa, após várias tentativas de renegociação com instituições financeiras credoras, entrou com pedido de recuperação judicial na última sexta-feira (27), alegando dívida de R$ 200 milhões.

Em nota, a indústria informa que a medida visa à superação da crise econômico-financeira que está enfrentando, de modo a permitir a manutenção da fonte produtora e do emprego.

De acordo com o comunidado, trata-se de um esforço para minimizar os impactos sociais que a crise financeira representa, uma vez que hoje dependem da empresa mil empregados diretos, 10 mil indiretos, 30 representantes comerciais, 17 distribuidores e 50 vendedores dos distribuidores.

No auge das atividades, a empresa atingiu o volume de produção de 1,2 milhão de litros de leite por dia. Como efeito da crise, em outubro do ano passado, a produção diária caiu para 800 mil litros.