O levantamento mensal feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nesta semana, confirmou que o Paraná manteve, no primeiro quadrimestre do ano, a condição de um dos Estados que mais geram empregos no setor, além de ser um dos líderes nas vendas industriais. O índice de crescimento da oferta de empregos foi de 6,23% – o segundo maior do ranking nacional, praticamente junto com o primeiro colocado ? o Rio Grande do Sul, com 6,30%.
Especificamente em abril, segundo a CNI, as indústrias do Paraná registraram aumento de 1,8% no nível de emprego, o que resultou em 6.200 novos postos de trabalhos no período. No ranking brasileiro do mês, o Paraná ficou entre os três primeiros, junto com a Bahia (11,2%) e Goiás (3,7%).
Na comparação de abril sobre igual mês de 2001, o Paraná obteve a segunda melhor posição, com crescimento de 8,4% – bem acima da média nacional, que nesse comparativo ficou em 0,45%, e pouco abaixo do Rio Grande do Sul, que fechou com 8,5%.
Vendas – Nas vendas industriais de janeiro a abril, o Paraná foi um dos poucos Estados que mantiveram resultados positivos. As vendas do setor cresceram 2,3% no período, terceiro melhor índice do país e sete vezes mais que a média nacional dos primeiros quatro meses, que fechou com 0,32% de crescimento.
Goiás registrou crescimento de 6,4% e Rio de Janeiro ficou com 4,7%. O pior desempenho ficou com a Bahia (com menos 10,2%), seguido o Espírito Santo (com menos 6,8%).
No resultado do mês de abril sobre março, o crescimento das vendas industriais paranaenses ficou em 5,07%, índice acima da média nacional (4,01%) e o quarto melhor no ranking nacional. Já na comparação de abril sobre o mesmo mês do ano passado, a elevação do Paraná ? calculada em 11,62% – deixou o Estado em terceiro lugar, superando com folga a média nacional de 5%.