Foto: Cíciro Back

Gasolina, de novo, pressiona o índice na capital.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou para 0,34%, em junho, na Grande Curitiba; em maio, a variação havia sido de 0,11%. Em nível nacional, o IPCA manteve em junho a mesma taxa registrada em maio, de 0,28%. Com estes resultados, a inflação acumula, nos seis primeiros meses do ano, alta de 1,50%, na Grande Curitiba e de 2,08% em nível nacional. Os números são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 Na Grande Curitiba os combustíveis pressionaram a inflação com aumento de 0,80%, por conta principalmente da gasolina que ficou 1,95% mais cara. Já o álcool combustível registrou queda de 11%. Em nível nacional, os combustíveis tiveram queda de 1,69%, puxada pela redução de 0,77% no preço da gasolina e de 12,35% no álcool.

O grupo alimentos e bebidas também pressionou o índice de preços, com variação positiva de 0,80%. Hortaliças e verduras registraram aumento de 19,12% – bem acima da média nacional, de 0,82% – e leite e derivados, alta de 7,81%.

Outros grupos com variação positiva foram habitação (alta de 0,13%), vestuário (0,36%), transportes (0,41%), saúde e cuidados pessoais (0,33%) e despesas pessoais (0,32%). Por outro lado, o grupo ?artigos de residência? foi um dos poucos a registrar queda nos preços (-0,51%).

País

Em nível nacional, a inflação de 0,28% foi influenciada, sobretudo, pelo grupo alimentos e bebidas, que apresentou alta de 1,09% e foi responsável pela contribuição de 0,23 ponto percentual, que representa 82% do IPCA de junho. A principal pressão foi exercida pelo leite pasteurizado, que, em função da menor oferta, ficou com a maior contribuição individual no mês: 0,11 ponto percentual. Importante no consumo familiar, os preços do leite chegaram a aumentar 12,40% durante o mês de junho. Com isso, os derivados também se apresentaram em alta: leite em pó (3,45%), queijos (2,77%), leite condensado (2,74%) e creme de leite (1,61%). Foi de 7,35% a elevação do item leite e derivados. Ainda no grupo dos alimentos foram destaques os preços do feijão carioca, que subiram 15,73%, e os ovos que ficaram 4,93% mais caros.

Dentre os índices regionais, o maior resultado foi registrado no Rio de Janeiro (0,37%) e o menor resultado ficou com Fortaleza (-0,09%).

INPC

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que se refere a famílias com renda de até seis salários mínimos, apresentou, em nível nacional, variação de 0,31% em junho, resultado maior que o de maio (0,26%). Na Grande Curitiba, o INPC caiu de 0,48%, em maio, para 0,40% em junho. No acumulado do ano, o INPC é de 2,02% na Grande Curitiba e de 2,20% em nível nacional.