Rio de Janeiro – A inflação medida pelo Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou alta de 0,37% em julho. O resultado ficou acima da taxa de junho, quando houve elevação de 0,26%.

De acordo com dados divulgados nesta terça-feira (7) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), dos três índices que compõem o IGP-DI, apenas o referente aos preços por atacado, com destaque para produtos agrícolas, apresentou acréscimo na taxa de variação.
 
O Índice de Preços por Atacado (IPA), que responde por 60% do índice total, avançou de 0,09% em junho para 0,42% em julho. Os destaques na elevação foram os preços de bovinos (1,71% para 6,97%), mandioca (-9,90% para 8,72%) e cana-de-açúcar (-9,99% para 7,13%).

Em sentido inverso, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), responsável por 30% do IGP-DI, recuou na passagem de um mês para outro. Em junho, a taxa havia ficado em 0,42% e em julho, o índice apurado foi de 0,42%. A maior contribuição para a desaceleração veio dos preços de Habitação, cuja taxa passou de 0,29% para -0,40%. O movimento foi puxado pelos preços de tarifa de eletricidade residencial (de 0,27% para -4,24%).

Também houve desaceleração na taxa de vestuário (de 0,53% para -0,31%), com destaque para roupas (de 0,35% para -0,70%) e calçados (de 0,85% para 0,35%). De acordo com a FGV, esse movimento é reflexo das promoções típicas desta época do ano.

Em sentido inverso, avançaram os preços de Alimentação (de 1,02% para 1,26%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,41% para 0,59%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,26% para 0,34%), Transportes (de -0,37% para -0,26%) e Despesas Diversas (de 0,34% para 0,59%).

O terceiro componente do IGP-DI, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que responde por 10% da taxa global, também recuou entre os meses de junho e julho, passando de uma variação de 0,92% para 0,31%. Dos três grupos que compõem o INCC, somente mão-de-obra teve decréscimo, recuando de 1,57% para 0,20%. O grupo materiais passou de 0,28% para 0,30% e os serviços, de 0,68% para 0,97%.

Para calcular o IGP-DI, a Fundação Getúlio Vargas usou como base os preços coletados entre os dias 1º e 31 de julho.