A inflação mensurada pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) foi de 0,34% na quadrissemana encerrada em 31 de julho, resultado igual ao apurado no IPC-S anterior, de até 22 de julho. A informação foi divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Quatro das sete classes de despesa usadas para cálculo do IPC-S apresentaram aceleração de preços, entre 22 e 31 de julho. É o caso de Habitação (de 0,50% para 0,66%); Educação, Leitura e Recreação (de 0,03% para 0,06%); Transportes (de 0,02% para 0,21%); e Vestuário (de 0,33% para 0,43%). Segundo a FGV, em cada uma dessas classes de despesa foram detectadas taxas de elevação de preços mais intensas, em itens de peso no cálculo da inflação do varejo. É o caso de tarifa de eletricidade residencial (de 2,20% para 3,89%); álcool combustível (de 0,04% para 2,64%); calçados (de 0,47% para 0,91%); e cursos formais (de 0,16% para 0,22%).

As três classes de despesa restantes apresentaram desaceleração de preços, no mesmo período. É o caso de Alimentação (de 0,45% para 0,18%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,32% para 0,29%); e Despesas Diversas (de 0,18% para 0,11%).