A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – 15 (IPCA-15) foi de 0,62% em outubro, ante 0,31% em setembro, segundo informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio no teto do intervalo das estimativas dos analistas, que esperavam inflação entre 0,50% a 0,62%, com mediana de 0,55%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,17% e, nos 12 meses encerrados em outubro, aumento de 5,03%.

O grupo dos alimentos e bebidas registrou variação de 1,70% no IPCA-15 de outubro, ante 0,30% em setembro, segundo informou o IBGE. Os alimentos contribuíram, sozinhos, com 0,39 ponto porcentual, ou 63% do indicador, que registrou alta de 0,62% no mês.

Segundo o documento de divulgação da pesquisa, “carnes, frango, feijão e trigo, alimentos importantes no orçamento das famílias e em período de menor oferta, tiveram fortes altas no mês e foram os principais responsáveis pela aceleração do IPCA-15 de setembro para outubro”. O item carnes registrou aumento de 4,93% no IPCA-15 de outubro, contribuindo com 0,11 ponto porcentual na formação do índice do mês. Outras altas foram registradas em frango (5,69%), macarrão (2,68%), pão francês (2,53%) e biscoito (1,51%), além de feijão carioca (24,56%).

Já o grupo dos não alimentícios passou de uma variação de 0,31% em setembro para 0,30% em outubro. Nesse grupo, os principais reajustes em outubro foram verificados nos salários dos empregados domésticos (1,21%) e na taxa de água e esgoto (1,09%).