Foto: Chuniti Kawamura/Tribuna

Muita gente pode não ter comparecido por causa da greve.

O Ministério da Previdência Social publicou ontem o quarto edital de aviso de suspensão do pagamento de benefícios. Desta vez, estão na lista 27.677 aposentados e pensionistas que tinham sido convocados para fazer o Censo Previdenciário nos meses de outubro, novembro e dezembro. Estes segurados deixaram de fazer o censo no prazo e, mesmo depois de sucessivos avisos por carta e editais, não compareceram para atualizar os dados cadastrais.

De acordo com a Previdência Social, esses 27.677 segurados só receberão o pagamento de julho, que é feito nos cinco primeiros dias úteis de agosto, se comparecerem à agência onde recebem o benefício e preencherem os dados do censo. O edital com os nomes é publicado em um jornal de grande circulação em cada Estado e também está disponível na página do Ministério da Previdência Social na internet (www.previdencia gov.br).

Segundo a Previdência, num primeiro momento o pagamento é apenas bloqueado, sem nenhum prejuízo para os beneficiários que deixaram de fazer o censo por falta de informação. Para o benefício ser reativado, basta a atualização dos dados cadastrais na própria agência bancária em que o segurado for sacar o pagamento. Nos bancos maiores, que respondem por 95% dos pagamentos, a aposentadoria ou pensão é liberada imediatamente. Nos outros bancos, o valor será desbloqueado no prazo de 13 dias.

A Previdência pede que os beneficiários não procurem as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para atualizarem os dados. Todas as etapas do censo são realizadas nas agências bancárias. O recadastramento começou em outubro de 2005. Para participar da primeira etapa, foram selecionados pelo INSS 2,4 milhões de segurados com cadastros antigos ou incompletos. A segunda etapa começou no mês de março. Estão sendo convocados 14,7 milhões de segurados. O censo vai até a metade do próximo ano.