A intenção de consumo do consumidor brasileiro subiu em agosto pela quarta vez consecutiva. É o que mostrou hoje a Confederação Nacional do Comércio (CNC) em sua pesquisa “Intenção de Consumo das Famílias”, elaborada a partir de 18.000 questionários analisados mensalmente. Em uma escala que vai até 200 pontos, o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) subiu de 133,6 pontos para 134,4 pontos, de julho para agosto, o que representa uma alta de 0,7%.

De acordo com a CNC, o bom resultado da pesquisa foi impulsionado por um aumento na intenção de consumo entre famílias mais ricas. De uma maneira geral, a satisfação com o mercado de trabalho e com a melhora na renda manteve o indicador de consumo em alta, na avaliação da entidade. No levantamento, praticamente metade das famílias entrevistadas (49,7%) se sente mais segura em seu emprego.

No entanto, a CNC fez uma ressalva. Houve uma ligeira queda na intenção de compras a prazo. O Índice de Intenção de Consumo voltado especificamente para compras a prazo recuou de 145,9 pontos para 144,1 pontos de julho para agosto, uma queda de 1,2%.