Londrina passou a ser a cidade mais desenvolvida do Paraná e a 51ª. do Brasil, de acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), criado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e divulgado durante o fim de semana.

Os dados, referentes a 2006, levam em conta fatores como emprego e renda, educação e saúde. Mais três cidades do Estado ficaram entre as 100 primeiras do ranking: Maringá que havia sido a primeira em 2005 , Pinhais e Curitiba. O Paraná ficou com a segunda melhor média do País, com alta de 0,5% em relação a 2005.

O IFDM de Londrina foi de 0,8634, enquanto o de Maringá foi um pouco menor: 0,8621. Já Pinhais ficou com 0,8582. Curitiba, que no levantamento anterior havia sido a capital com o maior índice no País, ficou com um IFDM de 0,8546 e perdeu a posição para Vitória e São Paulo.

Mesmo assim, junto com essas duas cidades e Belo Horizonte, figura entre as únicas capitais entre as 100 cidades mais desenvolvidas do País lista na qual 79 municípios têm menos de 300 mil habitantes.

Além dos quatro municípios paranaenses entre os 100 primeiros, outros nove também foram destaque por estarem na faixa de alto desenvolvimento, com índices superiores a 0,8000: Apucarana, Arapongas, Araucária, Francisco Beltrão, Douradina, São José dos Pinhais, Cascavel, Ponta Grossa e Toledo. No Paraná, 53 cidades ficaram com médias iguais ou superiores à nacional, que atingiu 0,7376 pontos, melhorando 3,47% em relação à pesquisa anterior.

A média estadual, de 0,8074 pontos, deixa o Paraná na lista dos três únicos estados com alto desenvolvimento, entre São Paulo (0,8637) e o Rio de Janeiro (0,8035).

A educação, no entanto, teve queda de 1,7% no Estado, ficando com 0,7216 pontos. Por outro lado, emprego e renda teve alta de 1,6%, passando para 0,8344 pontos, e saúde, de 1,2% (0,8662 pontos). Nas três categorias, o Paraná ficou acima da média nacional.

Melhora

O relatório da Firjan demonstra, ainda, que cerca de metade das cidades paranaenses melhorou de situação entre 2005 e 2006. Os destaques foram Cerro Azul, que aumentou seu IFDM em 15,7%, Mato Rico (14,5%), Adrianópolis (14,5%) e Guaraqueçaba (14,3%).

Entre as cidades mais desenvolvidas, o destaque foi para Douradina, que passou do 32º lugar em 2005 para 9º em 2006. Já Toledo estava em 5º lugar, mas caiu para 13º na última pesquisa.

Apesar de figurar entre os municípios que mais melhoraram de situação em 2006, Guaraqueçaba, com 0,5496 pontos, ainda figura entre as cinco menos desenvolvidas do Estado, ao lado de Goioxim, Doutor Ulysses, Rosário do Ivaí e Laranjal esta com índice de 0,4936. Rosário do Ivaí (-10,1%), Tunas do Paraná (-10,8%), Palotina (-12,6%) e Carambeí (-12,8%) foram as que mais pioraram seus índices.