Os investimentos estrangeiros em ações de empresas brasileiras em outubro somavam até ontem US$ 13,025 bilhões, pelos dados divulgados pelo Banco Central.

O volume de ingressos no mercado acionário até o momento é recorde na série histórica, desde 1947. O valor refere-se às compras de ações no Brasil e no exterior.

Apenas para as ações negociadas no País – volume que afeta as cotações do dólar -, as aplicações dos estrangeiros somam US$ 8,761 bilhões, segundo o BC.

No Ministério da Fazenda, a notícia reforçou a defesa da taxação de 2% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre a entrada de capital estrangeiro no País.

A avaliação é que os dados mostram que havia excessivo afluxo de capital estrangeiro para o mercado de capitais, o que vinha provocando rápida valorização do real.

Parte importante desses recursos está associada a uma única operação: o lançamento de ações do Santander Brasil. Segundo o BC, dos US$ 13,025 bilhões, cerca de US$ 4 bilhões referem-se a ADRs (ações negociadas em Nova York) vinculadas à emissão do banco.

Em setembro, o saldo líquido de ingressos de estrangeiros no mercado de ações havia sido bem menor, de US$ 3,987 bilhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.