A inflação em Curitiba, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), foi de 0,36% na primeira prévia de dezembro. O índice refere-se aos 30 dias anteriores a 8 de dezembro. Verificou-se ligeira queda em relação a novembro, quando o índice havia sido de 0,41%. O cálculo foi realizado pelo Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social).

O índice acumulado do ano e também dos últimos 12 meses foi de 5,38%. Repetindo o que aconteceu em novembro, o grupo habitação continua sendo o maior responsável pela inflação e teve aumento de 0,52% nessa primeira prévia.

Dentre os itens pesquisados, os que mais influenciaram, da ordem da maior para a menor contribuição foram: aluguel de moradia (1,02%), tomate (31,01%), refeição feita fora de casa (1,44%), frango inteiro resfriado (-9,21%), tratamento dentário (2,78%), conserto de móveis (10,53%), automóvel de passeio nacional zero quilômetro (0,66%), seguro voluntário de veículo (-5,85%), mamão (24,69%) e condomínio (1,12%).

Para o cálculo da inflação, o Ipardes coleta, mensalmente, em Curitiba, cerca de 60 mil preços de produtos consumidos por famílias que possuem renda mensal que varia de 1 a 40 salários mínimos, ou seja, que ganhavam de R$ 415,00 a R$ 16.600,00.