O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou deflação de 0,17% em março. O número representa uma queda em relação ao mês de fevereiro, quando apresentou inflação de 0,22%. O resultado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) ficou dentro do intervalo das estimativas de 19 instituições do mercado financeiro consultadas pelo AE Projeções, que oscilavam todas em terreno negativo entre 0,10% e 0,28%, com mediana negativa de 0,15%. Na comparação com a terceira quadrissemana de março, o IPC teve uma redução da deflação, pois o índice apresentou -0,18% naquela leitura.

Alimentação apresentou aceleração da inflação no período, uma vez que obteve alta de 0,34% em fevereiro, avançou para 0,68% na terceira leitura de março e fechou o mês com uma inflação de 0,77%.

Transportes seguiu em desaceleração da inflação, saindo de uma alta de 0,84% em fevereiro, para 0,41% na terceira leitura de março e fechando o mês com 0,28%. Saúde percorreu o mesmo caminho, com altas cada vez menores: atingiu 0,58% em fevereiro, desacelerou para uma inflação de 0,40% na terceira quadrissemana de março e terminou o mês com uma alta de 0,25%. Educação saiu de uma alta de 0,27%, desacelerou para 0,15% na terceira leitura do mês e fechou março com inflação de 0,13%.

O grupo Vestuário apresentou uma variação entre altas maiores e altas menores entre o fechamento de fevereiro e o fim de março: passou de 0,36% no fim de fevereiro para 0,28% na terceira quadrissemana de março e fechou o mês em alta de 0,44%.

Por outro lado, a deflação de Despesas Pessoais foi aumentando entre fevereiro e março, pois saiu de um resultado negativo de 0,10% em fevereiro, atingiu uma queda maior de 0,73% na terceira quadrissemana de março e fechou o mês em baixa de 1,02%.

O grupo Habitação variou entre deflações maiores e menores desde fevereiro, saindo de um resultado negativo de 0,21% em fevereiro, para uma deflação ainda maior de 1,20% na terceira quadrissemana de março e fechou o mês em baixa de 1,05.

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC no mês de março:

Habitação: -1,05%

Alimentação: 0,77%

Transportes: 0,28%

Despesas Pessoais: -1,02%

Saúde: 0,25%

Vestuário: 0,44%

Educação: 0,13%

Índice Geral: -0,17%