O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, teve alta de 0,47% em junho, mostrando desaceleração em relação à leitura de maio, quando subiu 0,62%.

O resultado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) ficou acima da mediana das previsões de 13 instituições consultadas pelo AE Projeções, de aumento de 0,53%, e veio exatamente no piso das estimativas, que eram de altas de 0,47% a 0,57%.

No primeiro semestre, o índice teve aumento de 5,85%. No período de 12 meses até junho, a inflação acumulada foi de 8,06%.

Em junho, seis grupos de produtos desaceleraram seus ganhos em comparação a maio. Em Habitação, a alta diminuiu de 0,74% em maio para 0,61% em junho. Em Transportes, a taxa foi de 0,30% para 0,04%; em Saúde, de 1,08% para 0,42%; em Vestuário, de 0,30% para 0,04%; e em Educação, de 0,09% para 0,02%.

A exceção foi Despesas Pessoais, cuja taxa de inflação acelerou de 0,27% em maio para 0,83% em junho.

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC em junho:

Habitação: 0,61%

Alimentação: 0,58%

Transportes: 0,04%

Despesas Pessoais: 0,83%

Saúde: 0,42%

Vestuário: 0,04%

Educação: 0,02%

Índice Geral: 0,47%