O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, desacelerou para 0,24% na segunda quadrissemana de fevereiro, ante taxa de 0,42% no primeiro levantamento do mês. O resultado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) veio dentro das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que oscilavam entre 0,23% e 0,40%, e próximo da mediana de 0,27%. Na comparação com a segunda quadrissemana de janeiro, o IPC também teve forte desaceleração, já que o índice apresentara inflação de 0,79% naquela prévia.

O grupo Habitação segue em alta em fevereiro. A inflação subiu para 0,46% na segunda prévia, ante 0,37% na primeira – foi o item que, na variação ponderada, mais contribuiu para o IPC no período. Já o grupo Alimentação continua em desaceleração. Depois de registrar deflação de 0,34% na primeira leitura do mês, passou para uma deflação de 0,67% neste levantamento – foi novamente o item que, na variação ponderada, menos contribuiu para a inflação.

Transportes registrou novamente recuo. Saiu de uma variação de 0,14% no primeiro levantamento de fevereiro para 0,01% na segunda quadrissemana. O mesmo ocorreu com o item Despesas Pessoais. Após inflação de 0,79% na primeira prévia do mês, baixou para 0,68% nesta segunda parcial.

Por sua vez, Saúde registrou nova aceleração. Avançou para 0,68% na segunda quadrissemana, ante 0,51% na primeira prévia. O segmento Vestuário apresentou forte recuo: de inflação de 0,48% no levantamento anterior, passou para uma deflação de 0,35% nesta pesquisa.

Por fim, o segmento Educação manteve índice altíssimo, mas novamente em queda no comparativo semanal. Caiu de 5,46% na primeira prévia de fevereiro para 3,70% neste segundo comparativo.

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC na segunda quadrissemana de fevereiro:

Habitação: 0,46%

Alimentação: -0,67%

Transportes: 0,01%

Despesas Pessoais: 0,68%

Saúde: 0,68%

Vestuário: -0,35%

Educação: 3,70%

Índice Geral: 0,24%