Após a inflação ter encerrado 2016 abaixo do teto da meta e o Banco Central ter acelerado o ritmo de cortes da Selic (a taxa básica de juros), os economistas do mercado financeiro reduziram levemente suas projeções para a inflação neste ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 16, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA – o índice oficial de inflação – em 2017 foi de 4,81% para 4,80%. Há um mês, estava em 4,90%.

Já a projeção para o IPCA de 2018 permaneceu em 4,50%, mesmo patamar de quatro semanas atrás. Esta foi a primeira vez que o BC publicou, no relatório, os dados referentes ao próximo ano.

Na quarta-feira passada, dia 11, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA em 2016 ficou em 6,29%. O porcentual ficou dentro do intervalo da meta perseguida pelo BC, de 4,5% com margem de tolerância de 2,0 pontos porcentuais (inflação até 6,5%).

Os preços mais acomodados, somados à forte recessão que atinge a economia, fizeram o BC anunciar, no mesmo dia, o corte da taxa básica de juros, a Selic, de 13,75% para 13,00% ao ano.

As projeções de mercado divulgadas nesta segunda no Focus indicam que a expectativa é que a inflação se aproxime do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação até 6,0%).

No comunicado que se seguiu à decisão de política monetária da semana passada, o Banco Central atualizou as projeções para a inflação em seu cenário de referência: 4,0% para 2017 e 3,4% em 2018.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 passou de 4,55% para 4,54%. Para 2018, a estimativa seguiu em 4,50%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de, respectivamente, 4,52% e 4,50%.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,84% para 4,80% de uma semana para outra – há um mês, estava em 4,87%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para janeiro de 2017 seguiu em 0,58%. Um mês antes, estava em 0,61%. No caso de fevereiro, a previsão de inflação do Focus foi de 0,60% para 0,61% ante 0,58% de quatro semanas atrás.