Stuttgart – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse ontem que o governo federal vai apresentar ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), na plenária de 29 de junho, um projeto do Ministério da Fazenda para incentivar investimentos na expansão dos portos nacionais por meio da concessão de isenções fiscais. “O projeto, inspirado no ?Repetro?, cria o ?Reporto?, e dará isenção tributária para os investimentos em ampliação dos terminais em portos e aeroportos”, adiantou o ministro. O Repetro concede vantagens fiscais para a aquisição no País de equipamentos para a exploração de petróleo.

“Temos manifestações de interesse do setor privado para investir, mas os custos são muito elevados”, explicou Furlan, que está em Stuttgart para participar do Encontro Econômico Brasil-Alemanha 2004. Ele esclareceu que o governo não está abrindo mão de receita tributária ao adotar a iniciativa, mas apenas estimulando empresas privadas “que já se sentiam motivadas a investir”. “Essa receita não existe e nunca vai existir do jeito que as coisas estão. Então, é melhor não cobrarmos nada e incentivarmos a expansão da nossa área logística”, afirmou. No encontro, o ministro foi cobrado por empresários alemães e brasileiros para que o governo Lula acelere a adoção de medidas para recuperar e expandir os sistemas de transporte de cargas no País, principalmente portos, ferrovias e malhas rodoviárias. “É um assunto que está na mesa do presidente Lula e é prioridade absoluta do governo. Estamos avançando”, afirmou.