O campo de Tamar, localizado no Estado de Israel, começou hoje a produzir gás natural para o país com a promessa de torná-lo independente em energia depois de dois anos de escassez. Em 2011, o surgimento de revoltas políticas no Egito fez com que o país interrompesse um acordo de abastecimento de gás com Israel. Com a produção do novo campo, o Estado judeu terá independência energética por pelo menos três anos, além de se tornar um exportador líquido de gás, segundo o Ministério de Fontes Energéticas e de Água.

De acordo com o Banco de Israel, a produção de gás do campo de Tamar deve elevar o crescimento econômico do país em 1 ponto porcentual. Levando em conta a produção de gás, o Produto Interno Bruto (PIB) deve ter expansão de 3,8% em 2013, ao excluí-lo, Israel deve crescer 2,8% este ano, ante expansão de 3% no ano passado. “Este é um dia importante para a economia de Israel”, disse o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, em comunicado. “É algo que vai incrementar a economia de Israel juntamente com todos os cidadãos israelenses.”

A maior parte do gás de Tamar, cujo campo é estimado em 9 trilhões de pés cúbicos (cerca de 0,25 trilhões de metros cúbicos), será inicialmente usada por uma empresa estatal de energia elétrica. A estatal está endividada e teve recentemente de aumentar os preços por causa da escassez de gás. Desde que o gás vindo do Egito foi interrompido em 2011, a companhia elétrica teve de buscar por fontes mais caras de energia, como o diesel.

O Estado de Israel criou recentemente um fundo soberano para lucros provenientes do campo de gás de Tamar e de outro campo próximo, Leviathan, que deve começar a produção no final desta década. As informações são da Dow Jones.