O potencial novo primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, alertou que “sacrifícios” podem estar à frente dos italianos e pediu paciência aos investidores hoje. “Sem sangue e sem lágrimas, mas talvez sacrifícios”, disse Monti, de 68 anos, quando jornalistas perguntaram o que devem esperar os italianos, após um dia de forte pressão dos mercados, seguido da saída de Silvio Berlusconi no sábado.

“Eu não estou ignorando a importância dos mercados, mas nós estamos em uma democracia e certo tempo é preciso”, afirmou o indicado ao cargo de primeiro-ministro. Ex-Comissário Europeu que ganhou boa reputação em Bruxelas, o economista afirmou querer que seu potencial gabinete fique no poder até 2013 – a data agendada para as próximas eleições.

“Eu não aceitaria um limite de tempo”, disse Monti. Ele também clamou por uma “verdadeira sociedade civil” e disse que se encontraria com representantes de sindicatos, organizações de mulheres e grupos de jovens amanhã, antes de decidir qual será seu novo gabinete. As informações são da Dow Jones.