O potencial econômico paranaense é pouco aproveitado pelo Japão, que precisa de produtos alimentares e também da indústria intermediária, segmentos produtivos que são muito fortes no Paraná. A afirmação foi feita pelo cônsul do Japão do Paraná, Hirotsugu Hagiuda, durante encontro promovido ontem pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

?Os empresários paranaenses estão animados com a China, mas devem lembrar que o PIB do Japão é três vezes maior que o chinês. E as nossas afinidades são maiores?, diz o consultor da Fiep, Elias Antunes. ?Além disto, a renda per capita do Japão é de US$ 35 mil, dez vezes maior que a brasileira?, acrescenta.

Para Antunes, o setor industrial tem que aproveitar esta oportunidade de já ter afinidades com o Japão. Nas décadas de 70 e 80, 8% dos recursos internacionais aplicados no Brasil vieram de bancos japoneses. Na década de 90, este índice não passou de 1,75%.

Em 2004, as exportações paranaenses para o Japão cresceram mais de 50%, com a ampliação das vendas de produtos industrializados. Segundo o coordenador geral de Novos Negócios da Fiep, Henrique Santos, somente no item de carnes de frango processadas houve alta de 177% nas exportações, que saltaram de US$ 49 milhões para US$ 136 milhões, de 2003 para 2004. O Estado exportou 40 mil toneladas a mais de frango ao Japão, atingindo a marca de 77 mil toneladas.