O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão no segundo trimestre foi menor do que o informado inicialmente, sugerindo uma debilidade fundamental na recuperação do país, já que algumas partes importantes da economia continuam a fraquejar. O Escritório do Gabinete do Governo informou que no segundo trimestre o PIB cresceu 0,6%, taxa ajustada aos preços, comparada a uma leitura preliminar de 0,9%. Isso representa uma expansão de 2,3% em relação ao mesmo período de 2008, abaixo dos 3,7% divulgados anteriormente. Os economistas do setor privado esperavam que não houvesse revisão na taxa.

Mas a revisão para baixo pode não ser um sinal inteiramente negativo para a segunda maior economia do mundo. Grande parte da revisão foi consequência de uma queda maior do que a esperada nos estoques, algo que provavelmente levará as empresas a aumentarem a produção. “De uma perspectiva ampla, é um fato positivo que se esteja fazendo ajustes nos estoques”, disse o ministro da Economia, Yoshimasa Hayashi.

Os analistas também manifestaram algum otimismo em relação à grande redução nos estoques. “As empresas procederam a uma diminuição dos estoques num ritmo muito rápido”, afirmou Norio Miyagawa, economista do Instituto de Pesquisa Shinko. “Parece que elas podem começar a aumentar sua produção a qualquer momento, se a demanda por seus produtos crescer.” As informações são da Dow Jones.