Brasília – O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, voltou a criticar o alto nível das taxas de juros do País, mas disse que é disciplinado e que decisão do Copom é para ser cumprida como decisão da Justiça. “Eu me pergunto, por que uma taxa real de 10,5%? O Brasil tem que trabalhar para nos próximos anos ter uma taxa real, que já é alta, de 6%”, disse Dirceu. “O governo tem sim divergências, tem sim debate, mas tem disciplina. Eu sou disciplinado, apóio e sustento a decisão do Banco Central”, disse Dirceu durante seminário em São Paulo.