O governo do Paraná entrega hoje, em Maringá, o certificado de número 150.000 à empresa de material de construção Caramuru. O ato vai representar o total de novas empresas comerciais, industriais e de serviços registradas no Estado desde 2003 pela Junta Comercial do Paraná (Jucepar). A entrega será feita pelo governador Roberto Requião.

Com o resultado, o Paraná se firma entre os três estados líderes na criação de novas empresas, juntamente com São Paulo e Minas Gerais. Só em 2005, aponta a Jucepar, foram criadas 45.844 novas empresas paranaenses, um recorde histórico na economia do Estado.

Segundo o governo do Paraná, as 150 mil novas empresas ajudaram na geração dos 322 mil novos empregos com carteira assinada registrados no Estado em três anos e cinco meses. O total de empregos no Estado também está entre os três maiores do ranking nacional.

A entrega do certificado n.º 150.000 à empresa Caramuru será prestigiada pelas Associações Comerciais e Empresariais do Paraná e pelo Sindicato dos Contabilistas de Maringá, entidades que vêem medidas do governo do Estado como determinantes para o estímulo ao crescimento da economia.

Entre as medidas, o empresariado aponta as que trocam imposto por emprego. É o caso da isenção do ICMS às microempresas e da redução do imposto para pequenas e médias empresas. Os empresários destacam ainda o programa Bom Emprego, de fomento à industrialização com a postergação de parte do ICMS, e a redução de impostos em setores estratégicos como o de material de construção.

Conforme levantamento da Junta Comercial do Paraná, o município de Maringá e as cidades vizinhas foram responsáveis por 8,4% das novas empresas criadas no Estado. Nos últimos três anos e meio, foram criadas 117.695 novas empresas na região.

Segundo o presidente da Jucepar, Júlio Maito Filho, a criação de novas empresas e a abertura de filiais de grupos já existentes aponta também para a descentralização da economia paranaense. Os registros apontam que 39% das novas empresas estão na Região Metropolitana de Curitiba e 61% estão distribuídas nas outras regiões.

Ainda de acordo com Maito, o desenvolvimento econômico do Paraná reflete na própria Junta Comercial que, dentro de 90 dias, inicia a construção de uma nova sede em Curitiba, que ficará no Centro Cívico e será equipada com os mais modernos métodos de atendimento e de suporte tecnológico. (AEN)