O governo do Paraná vai abrir 15 novos escritórios da Junta Comercial interior do Estado até o fim deste ano. O primeiro foi inaugurado em Palotina em 23 de junho. Em julho, será a vez de Santo Antônio do Sudoeste e Capanema. A previsão é de que, até dezembro, sejam abertos de dois a três por mês. Atualmente, já contando com a unidade de Palotina, a Junta tem 43 agências no Estado.

“A intenção é expandir o número de agências para fazer chegar seus serviços o mais próximo possível dos empresários paranaenses e dar suporte ao empresário no desenvolvimento econômico do Estado”, afirma o presidente da entidade, Ardisson Naim Akel.

A instalação dos novos escritórios da Junta Comercial resulta de parceria com as associações comerciais, sindicatos de contabilistas e municípios. A Junta é responsável pelo apoio técnico. “O profissional que trabalha no escritório é um servidor público estadual ou municipal que recebe treinamento para a função”, explica Akel.

Em Palotina, a Associação Comercial e Industrial (Acipa) arcou com 50% dos custos. “Empresas locais investiram o restante”, explicou a presidente da Acipa, Lara Beatrice Biezus. O prefeito de Palotina reforçou o compromisso da administração municipal com este projeto. “A prefeitura apoiou o projeto cedendo dois servidores municipais”, informou o prefeito de Palotina, Luiz Ernesto de Giacometti.

Uniformidade

Além de ampliar o número de agências, a Junta Comercial tem como meta uniformizar a linguagem usada nas 43 agências. Neste mês, foi realizado em Ponta Grossa o Seminário de Registro Empresarial da Junta Comercial do Paraná (Jucepar). O evento reuniu técnicos e dirigentes para debater temas como registro público de empresas, arbitragem e guias de arrecadação.

“Todas as agências devem falar a mesma linguagem, de acordo com a aplicação de novas leis e procedimentos, para facilitar o registro e a legalização de empresas no Paraná”, disse o presidente Ardisson Naim Ackel.