A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) culpou os juros altos e a baixa confiança dos consumidores pelo mau desempenho do varejo em 2014, captado pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas demonstrou confiança nos efeitos positivos do ajuste empreendido pela nova equipe econômica do governo.

“O comércio não poderia estar imune ao ritmo hesitante da economia brasileira em 2014: as vendas do setor desaceleraram mês a mês em relação ao ano de 2013. Após longo período em que cresceu a taxas de dois dígitos, o fato é que o varejo avança atualmente abaixo de 3% em termos anuais”, diz nota divulgada pela Federação.

A Fecomercio citou a moderação no crescimento do crédito. “O alto custo da tomada de financiamentos, agravado pelo aperto monetário em curso, inibiu a expansão das concessões (de crédito), também inibida pelo recuo dos incentivos fiscais. Ainda assim, o saldo das operações segue com crescimento descolado da média da economia – na casa dos 11% anuais”, diz a nota.

Como o crescimento do crédito segue robusto, o ajuste para reequilibrar a economia ganha relevância. “O maior compromisso com o controle do gasto público, se efetivado, resultará na continuidade de um ritmo ameno de crescimento, mas renderá frutos a partir do segundo semestre. Com o dever de casa feito, contas públicas e inflação em ordem, a confiança de consumidores e empresários tende a crescer e, com isso, o consumo das famílias e o investimento”, opina a Fecomércio-RJ.