Enquanto o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ainda responde às dúvidas da bancada do PSB sobre a reforma da Previdência em uma reunião fechada, a líder do partido na Câmara, Tereza Cristina (MS), adiantou que a legenda não fechará questão para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287. Segundo ela, os deputados ficarão livres para votar sobre a aceitação de emendas ao texto proposto pelo governo.

“A tendência do partido é votar a reforma, mas vamos ver ainda as emendas que foram protocoladas. O partido sempre liberou a votação e nunca fechou questão, nem mesmo no impeachment”, afirmou.

Segundo ela, nenhum parlamentar seria contrário à reforma da Previdência, mas muitos questionam partes específicas da proposta do governo. “O PSB entende a reforma e sabe que ela precisa acontecer. Mas a reforma não é um plebiscito, não é só uma questão de se dizer sim ou não. Vamos fazer uma votação responsável”, concluiu.