Os líderes da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, na sigla em inglês) se comprometeram a fortalecer o sistema multilateral de comércio e buscar resultados positivos nos encontros da Organização Mundial do Comércio (OMC) em dezembro. Entre os dias 3 e 6 de dezembro, a OMC organiza a sua nona conferência ministerial em Bali, na Indonésia.

“Reconhecemos a importância de um sistema de comércio multilateral na proteção da expansão do comércio, que serve como uma fonte de crescimento econômico, criação de emprego e desenvolvimento sustentável”, disseram os líderes em um comunicado divulgado nesta terça-feira.

De acordo com o documento, eles prometeram continuar empenhados para reforçar um sistema multilateral de comércio baseado em regras, transparente, aberto e inclusivo, conforme o direcionamento presente nos princípios e valores da OMC. Os líderes da Apec disseram que estendem este compromisso até o final de 2016. Segundo a declaração, eles prometeram enfrentar medidas protecionistas e reafirmaram o compromisso para reverter ações que distorcem o comércio.

Por outro lado, eles reconheceram o impasse vivido em Doha. “Estamos agora na última hora para colocar a função de negociação da OMC de volta no caminho certo. Assim, o próximo passo que damos será fundamental para o sistema multilateral de comércio e o papel da OMC.” Segundo os líderes da Apec, há uma urgência para conseguir resultados positivos nas reuniões de dezembro, que poderão ser um marco para o futuro das negociações da Rodada Doha e para liberalizar ainda mais o sistema comercial.

“Nós prevemos que os resultados de Bali devem acompanhar um acordo sobre a facilitação do comércio, alguns elementos da agricultura e desenvolvimento, incluindo questões de interesse para os países menos desenvolvidos”. O avanço nas negociações dessas questões são de extrema importância e instruem os negociadores a redobrar os seus esforços para concluir as negociações sobre este pacote antes do início dos encontros em dezembro.

Além disso, eles também prometeram cooperar para criar uma estabilidade na recuperação econômica global em meio à falta de recursos e dificuldades para o crescimento. Os líderes prometeram proteger a segurança de alimentos, energia e água contra as ameaças decorrentes das alterações climáticas e o crescimento da população.

“Conforme nossa região se torna cada vez mais o principal motor do crescimento global, estamos sendo chamados pelo dever de olhar para frente, para se adaptar às nossas necessidades em constante mudança, e revigorar o caminho para o progresso na região da Ásia e Pacífico”, disse o grupo na declaração. Eles também prometeram cooperar na melhoria da infraestrutura, como estradas, pontes e portos para tornar a região mais adequada para o comércio.