Brasília (AE) – As ligações de telefones fixos para celulares poderão aumentar em 7,99% apenas em São Paulo, se as operadoras do Estado chegarem a um acordo, antes das telefônicas das outras regiões, sobre como repartir o aumento. A explicação foi dada hoje (12) pelo superintendente de Serviços Públicos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Marcos Bafutto. O consumidor de todo o País pagará o mesmo reajuste nas ligações de fixo para celular: 7,99%. O que vai variar é a data em que ele será aplicado.

Essa confusão é fruto de uma queda-de-braço entre as empresas de telefonia fixa e de celular sobre qual seria o reajuste no valor na tarifa de interconexão (o preço cobrado para ligar a rede fixa na celular). As empresas deveriam ter chegado a um entendimento no início deste ano. Na tentativa de forçar um acordo, a Anatel decidiu que autorizaria o reajuste na tarifa ao consumidor, decidido desde fevereiro, só quando as empresas se entendessem.

O acordo está adiantado em São Paulo, informou esta semana a TIM. Segundo a empresa, houve entendimento entre a Telefônica, a Vésper e a Embratel para que as tarifas de interconexão entre as redes das empresas fixas e móveis sejam reajustadas em 4,5%. Esse aumento já está embutido no reajuste de 7,99% a ser cobrado do consumidor.

Nas outras regiões, as operadoras ainda estão negociando. Bafutto explicou que aquelas que não chegarem a um acordo sobre a remuneração da interconexão poderão ser obrigadas pela Anatel a contratar empresas de consultoria para definir qual é a remuneração adequada para cada empresa. O custo das consultorias seria bancado pelas operadoras de telefonia.