O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quinta-feira, 11, que quem decide sobre o aumento dos combustíveis é o Conselho de Administração da Petrobras, cujo presidente é o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Perguntado, Lobão voltou atrás e confirmou que o porcentual de reajuste reivindicado pela companhia é de 6%. “Essa é a diferença entre o que estaria sendo reivindicado”, disse, em relação à defasagem de 13% alegada pela Petrobras e o reajuste de 7% concedido em janeiro. “O porcentual é justo, mas não sabemos se será feito agora.”

Mais cedo, ele havia negado que um eventual aumento do preço da gasolina seria da ordem de 6% ainda este ano. “Não sei se tem nem se terá aumento dos combustíveis, não sei de índice de reajuste nenhum”, havia afirmado, ao ser questionado. Lobão participa da apresentação do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás, na sede do ministério.