A Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis (Abla) fechou 2012 com crescimento de 9,88%, em ritmo dez vezes maior do que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do ano (+0,9%). O resultado na comparação com 2011 foi comemorado pelo presidente do Conselho da associação, Paulo Gaba Júnior.

Ele destacou, entretanto, que o aumento na idade da frota preocupa: atualmente, é, em média, de 18 meses de uso. Segundo ele, a principal dificuldade são as poucas oportunidades de financiamento. “Montadoras e bancos, isso é um apelo: nos ajude a reduzir o tempo de frota”, apelou.

O ideal, pelas contas da Abla, é uma frota com média de 14 meses de uso, número atingido em 2006. Num futuro próximo, o objetivo é baixar a idade atual para 16 meses. “Fechamos com frota de 18 meses, isso é uma derrota do setor. Isso demonstra que ninguém está trocando de carro.”

Gava reclamou ainda da instabilidade da política de incentivo fiscal do governo federal. Segundo ele, a Associação não é contra a redução do IPI, mas contra a variação do imposto. “Quando você tem um IPI que sobe e desce, o maior problema da locadora é a depreciação. Quando eu tiro o carro da montadora, ele já está desvalorizado”, concluiu Gava.