Com o objetivo de fomentar o plantio de madeira na região, empresários do setor, técnicos da Emater, secretários municipais de Agricultura, lideranças locais e 120 prefeitos se reúnem hoje, em Laranjeiras do Sul, Centro-Sul do Paraná, no Seminário sobre Oportunidades de Negócios do Cultivo Florestal Madeireiro na Região de Canturiguaçu.

Os participantes vão discutir o potencial de cultivo da região, com a presença também de representantes dos sindicatos da indústria madeireira e trabalhadores nas indústrias de móveis. Haverá ainda uma sessão técnica com profissionais da Embrapa Florestas sobre produção e processamento de madeira. Ao final do seminário, os participantes vão apresentar um anteprojeto para a atividade na região e os prefeitos assinarão um protocolo de intenções.

“O cultivo de árvores é uma atividade que gera renda sem ocasionar prejuízos para as propriedades, já que o produtor utiliza uma área até então inaproveitada”, informa o agrônomo da Emater Julci Pires, da comissão organizadora do encontro. Outra vantagem é o manejo fácil, o que permite ao produtor continuar com suas atividades normais.

Em relação à geração de renda, um hectare plantado com eucalipto, calcula o técnico da Emater, pode render mais de R$ 30 mil em 21 anos. O primeiro corte é realizado depois de sete anos e dá ao produtor R$ 1,4 mil. O segundo, realizado aos 14 anos, proporciona um retorno econômico de R$ 7 mil. O corte final, aos 21, resulta em madeira de qualidade usada para fabricação de móveis e representa um ganho de R$ 24 mil por hectare.