O preço das ações da Positivo Informática negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não resistiram ao impacto negativo da divulgação do balanço do terceiro trimestre da empresa, que confirmou a redução de 74,1% no lucro do período na comparação com o mesmo trimestre de 2009.

Os papeis da empresa tiveram movimento de queda livre durante todo o pregão de ontem, encerrando a semana com a forte desvalorização de 10,42%. Sendo assim, a ação, que tem o código POSI3 na Bovespa, começou o dia valendo R$ 14,68 e encerrou o pregão com a cotação de R$ 13,42.

O volume de ações negociadas da POSI3 foi bastante elevado, segundo várias corretoras de valores que verificaram um forte movimento de investidores para a venda das ações durante toda a sexta-feira.

Os analistas de mercado consideraram que os números do balanço foram piores do que já se previa. No terceiro trimestre deste ano o lucro líquido da Positivo Informática foi de R$ 15,3 milhões, contra R$ 59,1 milhões registrado no mesmo período de 2009. O segundo trimestre de 2010, por sua vez, apresentou um lucro líquido de R$ 30,2 milhões de reais.

Na divulgação do balanço, o presidente da Positivo Informática, Hélio Rotenberg, atribuiu ao fraco desempenho da empresa o aumento da agressividade dos “players multinacionais”, sobretudo na pressão exercida sobre os preços dos notebooks que quase não geraram lucratividade, e o crescimento da concorrência “quase desleal” com os produtos importados.

No acumulado do ano, a empresa ainda apresenta um crescimento positivo em relação à 2009 da ordem de 4,4%, totalizando R$ 83,3 milhões de lucro líquido. A assessoria da empresa explicou que durante o terceiro trimestre de 2010 foram investidos R$ 11,6 milhões, a maior parte direcionada à expansão da fábrica de Curitiba. Também foram realizadas melhorias de sistemas e atividades de pesquisa e desenvolvimento.

A estimativa é de que os investimentos da Positivo Informática totalizem R$ 41,8 milhões, em 2010. Ainda conforme a assessoria, os investimentos vêm ao encontro da expectativa de crescimento nas vendas do setor em 2010.