O lucro do Unibanco atingiu R$ 453 milhões no segundo trimestre deste ano, o que representa um crescimento de 48,5% sobre o mesmo período do ano passado. Nos seis primeiros meses de 2005, os ganhos do banco acumularam R$ 854 milhões, o que significa alta de 47% sobre o primeiro semestre de 2004. Esse resultado, entretanto, ainda é menor do que os registrados por Bradesco, Itaú e Banespa.

O balanço dos bancos brasileiros tem sido fortemente beneficiado pela alta na taxa básica de juros da economia brasileira. Além de aumentar a rentabilidade das instituições financeiras com a aquisição de títulos públicos, juros maiores também aumentam a rentabilidade dos empréstimos oferecidos pelos bancos a empresas e consumidores.

Até o momento, o campeão de ganhos no sistema financeiro brasileiro é o Bradesco. O banco lucrou R$ 2,621 bilhões no primeiro semestre, um crescimento de mais de 100% sobre o ano passado. Já o Itaú teve ganhos de R$ 2,475 bilhões e o Banespa, de R$ 878,027 milhões.

Entre os maiores bancos brasileiros, ainda faltam divulgar seus balanços a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Unibanco

No balanço, o Unibanco informou que sua carteira de crédito cresceu 6% no segundo trimestre em relação ao primeiro. O crescimento médio do sistema financeiro, segundo o Banco Central, foi de 3,7% no mesmo período.

Somente para pessoas físicas, a alta da carteira de crédito do Unibanco alcançou 9,5%, impulsionada pelas operações de crédito ao consumo e financiamentos no banco múltiplo.

Segundo o vice-presidente corporativo da instituição, Geraldo Travaglia, somente as operações da financeira do grupo, a Fininvest, tem crescido, na média, entre 9% e 10% por trimestre.

O total das operações de crédito atingiu o montante de R$ 31,154 bilhões em junho de 2005, com crescimento de 21,0% nos últimos 12 meses.

Travaglia destacou ainda, como fator fundamental para o crescimento do resultado do banco no período, a diferença entre os juros no Brasil e no mercado internacional, além da ?política bem feita de hedge [proteção cambial] no exterior? da instituição.

Os juros brasileiros estão atualmente em 19,75% ao ano. Segundo levantamento da GRC Visão, o País lidera o ranking das maiores taxas do mundo.

As receitas de prestação de serviços – que incluem ganhos com tarifas -, entretanto, caíram 3,17% entre o segundo trimestre de 2004 e igual período deste ano, passando de R$ 820 milhões para R$ 794 milhões.

Travaglia explicou que essa queda se deve à venda de sua participação na Credicard para o Itaú e o Citibank, anunciada em fevereiro deste ano.

Já os ativos totais consolidados do Unibanco atingiram R$ 82,992 bilhões ao final de junho, contra R$ 82,109 bilhões em março.