O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu as críticas feitas ao governo sobre o trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio e destacou a estabilidade econômica do País, durante o encerramento da IV Reunião de Cúpula da Parceria Estratégica entre Brasil e União Europeia, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. “O Brasil tem competência e vamos fazer”, disse referindo-se ao trem de alta velocidade.

Segundo o presidente, quando eclodiu a crise financeira internacional, muitas pessoas não acreditavam que o Brasil chegaria a 2010 com uma situação sólida como vive atualmente. “A verdade é que muitos de nós não acreditávamos que o Brasil ia chegar onde chegou.” Essa estabilidade, defendeu Lula, é resultado da solidez do sistema financeiro brasileiro – que é até mais sólido do que o europeu -, do controle da alavancagem do financiamento dos bancos e da existência de bancos públicos de qualidade. “Quando descobrimos que a indústria não estava vendendo carro novo, porque não tinha quem comprasse carro usado, fizemos a compra de 50% do Banco Votorantim, que tinha uma carteira (de financiamento) de carros usados”, disse.

Ele ressaltou que, no período da crise, as classes D e E no Nordeste consumiram mais que as classes A e B no Sudeste. “É o milagre da multiplicação dos pães”, fazendo referência aos programas de transferência de renda do governo, como o Bolsa Família, e ao ganho de maior poder aquisitivo das pessoas devido aos reajustes do salário mínimo.

Lula lembrou que, tempos atrás, o Brasil era considerado um país que não cumpria com suas obrigações. “Isso mudou”, disse. Ele lembrou também que chegava a “ser vergonhoso falar de multinacionais brasileiras e que hoje as empresas brasileiras atuam em diversos países, como Canadá, Alemanha, Estados Unidos.”Só não estamos na Antártida, para não poluir lá”, brincou.