Foto: Agência Brasil

 Lula: câmbio e burocracia ao mesmo tempo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender a política econômica de seu governo, durante inauguração de uma nova pista do aeroporto Juscelino Kubitschek, na capital federal, na manhã de ontem.

Uma das várias críticas à política econômica do governo aponta para o risco de que as exportações, que alavancaram a economia nos últimos anos, comecem a perder impulso devido à desvalorização do dólar frente ao real, o que compromete os termos de troca entre o Brasil e o exterior. A valorização do real é explicada pela política de juros altos, que atrai dólares para o país.

Em referência direta a essas críticas, o presidente disse: ?de vez em quando eu leio no jornal algumas críticas, de vez em quando eu vejo as pessoas falarem de câmbio, falam de juros. O dado concreto é que a prática desmonta a teoria, na medida em que todo santo dia os números do crescimento das exportações crescem?.

Entraves

O presidente também discursou sobre os entraves da legislação para executar obras no país, numa referência à demora de 10 anos para concluir a nova pista do aeroporto. ?O que acontecia antes no Brasil era o seguinte: o Ministério pensava uma obra, o Presidente anunciava, chegavam para licenciar, estava irregular, e passavam três, quatro, cinco anos sem essa obra acontecer, embora estivesse anunciada?, afirmou.

Lula disse que o problema ocorria pela legislação federal, ?tão sofisticada quanto a de qualquer outro país do mundo?, mas que colocava entraves à execução das obras devido à burocracia.

?Porque nós colocamos tanto obstáculo que hoje um fiscal, para dar uma licença prévia, vai contar não até dez, mas até 1.000, porque se alguém fizer uma denúncia, a primeira coisa que a Justiça determina é a indisponibilização dos seus bens. Então, o cidadão fala: espera aí, esse governo entrou agora, vai ficar quatro anos, o mandato é de quatro anos, esse deputado só tem quatro anos, eu tenho aqui 31 de serviço, por que eu vou correr risco dando uma licença que alguém vai entrar com recurso contra mim??, afirmou Lula.