O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um rápido discurso nesta tarde no lançamento de navio porta-contêiner construído no estaleiro Eisa para a coligada da Vale, Log-In, enaltecendo recuperação da indústria naval durante o seu governo, quando o número de empregos saltou de 2 mil para 50 mil.

Ele lembrou que último navio construído no Brasil foi em 1987. “Alguém tomou a decisão de comprar tudo lá fora porque não se levava em conta que um país do tamanho do Brasil, com esta costa marítima, não podia ficar tendo um custo de frete de US$ 8 bilhões anuais. Quando a gente vem aqui inaugurar um navio numa indústria que esteve quase em extinção é uma coisa sagrada”, disse Lula, ao lado da primeira-dama Marisa Letícia, madrinha do navio Jatobá.

A cerimônia teve de ser apressada por causa da maré, que já estava no limite e se baixasse mais poderia inviabilizar o lançamento do navio. “Todos aqui estávamos programados para falar no palanque, mas estou propondo que a gente abra mão e apenas o presidente fale, o que vocês acham?”, disse o governador reeleito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, recebendo amplo apoio da plateia composta por trabalhadores do estaleiro. Lula brincou com a situação e disse que o governador tinha “conseguido avacalhar a cerimônia”.

O presidente agradeceu os votos que elegeram Cabral no primeiro turno e destacou o ritmo de crescimento do Rio de Janeiro, que segundo dados recentes do IBGE, despontou com o menor número de desemprego e um aumento real na média salarial. “Quando a gente quer enfrentar a violência, a gente sabe que tem que preparar mais policial e fazer o que você fez, Cabral, que é levar a policia para as pessoas decentes que estão morando lá. Mas mais que isso é importante gerar milhões de empregos como neste estaleiro e poder mantê-los, porque quando a gente tem o sustento para levar pra casa não precisa roubar. E não vai mais faltar emprego, porque a quantidade de navio e plataforma que falta construir vai deixar muito estaleiro e trabalhador feliz”, disse.