O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai propor, na reunião do G-20, o fim dos paraísos fiscais, além do aumento da regulação do mercado internacional. O Grupo dos 20, que reúne grandes economias industrializadas e emergentes, se encontra em Londres em 2 de abril. Em apresentação à imprensa nesta segunda-feira (30), o porta-voz do Palácio do Planalto, Marcelo Baumbach, informou que a posição brasileira é que os chamados paraísos fiscais são uma “maneira para se escapar da regulação do sistema financeiro internacional” e por isso, em meio à atual crise econômica, devem ser suprimidos.

A posição brasileira inclui, ainda, a defesa de reforma de organismos internacionais como o Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com Baumbach, o Brasil quer ampliar a voz dos países emergentes. “O presidente defende que é necessário acabar com práticas não democráticas nesses organismos. A ampliação da participação financeira pode ser uma consequência”, disse Baumbach.

Lula partiu nesta segunda para Doha, no Catar, onde participa da Cúpula dos Países Árabes e Sul-americanos. Amanhã, terça-feira, parte à noite para Paris onde, na quarta-feira, reúne-se com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, antes da reunião do G-20. Depois, parte para Londres.