O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou hoje que espera um crescimento de 2,5% a 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano. O ministro reiterou sua previsão, feita no início do ano, de que o Brasil crescerá 2% em 2009 e gerará 1 milhão de empregos. “Insisto em 2%. O ano não terminou”, disse, após participar do Fórum Estadual de Aprendizagem, no Memorial da América Latina, na zona oeste da capital paulista. “Aos pessimistas cabe apenas lamentar. Aos otimistas, achar que o amanhã será melhor.”

O ministro ponderou que o emprego terá uma recuperação mais lenta na indústria, mas deve crescer com força no comércio e na agricultura. Adiantou que os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de julho virão “melhores” que os de junho. O ministro descartou novas medidas para prorrogar o tempo de pagamento de seguro-desemprego. “Não há necessidade”, justificou. Questionado se via a crise econômica como uma “marolinha”, a exemplo do que disse o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ele respondeu com outra metáfora. “Sou pescador. Costumo dizer que toda onda acaba na areia.”