A Venezuela criará um mecanismo de câmbio que fornecerá um canal adicional para a compra de dólares para a população local, afirmou o presidente interino do país, Nicolás Maduro.

O novo mecanismo vai funcionar junto com o conselho da Comissão de Administração de Divisas (Cadivi), que fixa o dólar a 6,3 bolívares, segundo Maduro.

O presidente interino afirmou que o mecanismo será lançado na terça-feira e, através dele, fundos estarão disponíveis dentro de uma semana. Maduro não forneceu detalhes específicos, mas pessoas familiarizadas com as deliberações do banco central disseram, na semana passada, que o governo vai permitir que dólares sejam comprados a preços muito mais flexíveis do que a taxa fixa.

O mecanismo fará com que mais dólares fiquem disponíveis na economia do país, que é altamente dependente de importação. Na Venezuela, o acesso limitado a uma moeda forte tem levado à escassez de alimentos e bens de consumo.

A falta de dólares também levou a uma rápida desvalorização do bolívar no mercado negro, onde os dólares podem ser comprados perto de 22 bolívares venezuelanos.

Um dos objetivos da criação do mecanismo é “enfrentar o dólar paralelo”, disse Maduro.

Uma plataforma cambial separada, chamada de SITME, para a negociação de títulos do governo denominados em dólar, foi eliminada no mês passado. As autoridades disseram que apenas alimentar o SITME significava ter que emitir dívida desnecessariamente.

O novo mecanismo “vai funcionar melhor do que SITME, com mais transparência”, disse Maduro.

Ele também afirmou que o Estado “tem dólares suficientes de suas receitas” para satisfazer as necessidades da economia local.

Além disso, o governo está disponibilizando US$ 1 bilhão e 1 bilhão de bolívares (US$ 157,5 milhões) através de um novo fundo de “rotação” destinado a impulsionar a indústria, declarou Maduro.

Segundo o presidente interino, o fundo vai investir na indústria e em “produtivos” setores econômicos, e visa aumentar exportações não-petrolíferas – um objetivo promovido há muito tempo por Chávez. As informações são da Dow Jones.