Brasília – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira (22) que o ?desempenho favorável? da economia brasileira em 2007 deverá se propagar também neste ano, com crescimento de cerca de 5% e inflação ao redor da meta de 4,5%, além da continuada redução da dívida pública em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no país. Segundo o ministro, essa relação ficou em torno de 43,4% no ano passado.

Mantega fez as afirmações durante a apresentação do balanço do primeiro ano do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Palácio do Planalto.

O ministro reafirmou, na ocasião, que a evolução do quadro econômico continua favorável ao Brasil, apesar da crise financeira internacional. ?Não quero com isso dizer que o país está imune à crise?, disse ele, lembrando que tudo vai depender da dimensão que a crise venha a adquirir. Para ele, o Brasil ?nunca esteve tão preparado para enfrentar uma crise dessa  magnitude?. Basta ver que não há fuga de capitais, nem quebra de bancos ou falta de liquidez, acrescentou.

De acordo com Mantega, ?a situação está sob controle?, graças ao trabalho executado nos últimos anos para garantir fundamentos sólidos à economia. Ele enumerou, entre esses fundamentos, a solidez das contas externas, a redução da vulnerabilidade, o equilíbrio fiscal, o controle da inflação e o crescimento sustentado. Tais fatores deixam o país "em situação privilegiada para enfrentar a crise internacional?, disse o ministro.