São Paulo – Nada menos que a metade da inflação prevista para maio em São Paulo virá do impacto da cobrança da taxa de iluminação pública regulamentada pela prefeita de São Paulo, Marta Suplicy. É o que apontam as projeções feitas pelo coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Heron do Carmo, ao prever que a taxa de inflação na cidade de São Paulo em maio deverá fechar em 0,20%. Os cálculos feitos pelo coordenador da Fipe mostram que por causa desse imposto a tarifa de energia elétrica para o consumidor paulistano, que percebe uma renda familiar entre 1 e 20 salários mínimos, sofrerá um aumento de 6%. O impacto desse aumento será de 0,24 ponto porcentual sobre o índice geral, distribuído em dois meses e meio – sendo 0,10 ponto porcentual em maio e 0,10 em junho.